As etnias do mundo em fotos de tirar o fôlego

Galeria de Fotos

As etnias do mundo em fotos de tirar o fôlego

Sonapeca.com.br
Publisher Logo

7 de Fevereiro de 2018

Jimmy Nelson, renomado fotógrafo, é um idealista. Ao celebrar a beleza e a singularidade das etnias em lugares remotos do planeta, ele quer nos conscientizar de uma realidade que a maioria de nós não conhece: o desaparecimento de grupos étnicos notáveis.

 

Jimmy Nelson conseguiu estabelecer uma amizade profunda com esses povos e à medida que essa confiança crescia eles tomaram consciência de qual era a missão do fotógrafo: garantir que a humanidade não se esqueça nunca de seu passado. Ao apoiar a sua causa, respeitando seus habitats, imortalizando seu orgulho e ajudando-os a transmitir suas tradições às gerações futuras, cada um de nós pode retardar o que parece inevitável.

 

Os cazaques – Mongólia

 

Eles vêm de uma etnia turca no norte da Ásia Central, são semi-nômades e vivem no pastoralismo, entre suas tradições a caça com a águia. Eles usam um casaco preto, um chapéu coberto de pele e botas. Eles vivem em iouros ricamente decorados com tecidos bordados e feltro. Eles são grandes consumidores de carne de cordeiro que costumam salgar e secar para preservá-las.

 

© Jimmy Nelson

 

Maori – Nova Zelândia

 

Os maori são um povo indígena fascinante. Eles vieram em Waka (canoa) da ilha de Hawaiki, na Polinésia central. A cultura maori tradicional é expressada através de arte, lendas, tatuagens (ta moko), danças (especialmente o haka destinado a intimidar o inimigo), fantasias e uma grande sensação de hospitalidade.

 

Eles adotaram um modo de vida ocidental mantendo seus costumes sociais e culturais. A dieta básica (kai) consiste de aves e peixes que complementam com ervas e raízes selvagens. Eles cultivam calabashes em seus jardins e tubérculos como inhame e batata-doce (kumara). Atualmente, existem cerca de 650 mil maoris na Nova Zelândia.

 

© Jimmy Nelson

 

Os Mursis – Etiópia

 

Eles vivem não muito longe da fronteira queniana no vale inferior de Omo. Esta tribo tem seu próprio idioma, o mursi. Os meios de subsistência desta tribo de pastores nômades estão se tornando cada vez mais difíceis como resultado de severas secas, mas também pela criação de parques nacionais com suas cercas e estradas.

 

As mulheres são conhecidas em todo o mundo por causa do labret, uma bandeja de argila adornando suas bocas. Eles vivem em cabanas feitas de juncos, palha e galhos. Eles são animistas e acreditam que todos os elementos da natureza, árvores, pedras possuem um espírito.

 

© Jimmy Nelson

 

O Samburu – Quênia

 

Os Samburu são cerca de 140.000 habitantes e vivem na província do Vale do Rift, no norte do Quênia. As estepas permitem que eles criem gado, cabras, ovelhas e dromedários. Samburu é um dialeto da língua nilotica chamada Maa, também falada pelos Maasai.

 

Essas pessoas acreditam em um criador distante, um deus supremo, a quem chamam Nkai ou Ngai. O culto aos ancestrais e até mesmo a feitiçaria são generalizados, eles acreditam em feitiços e praticam rituais tradicionais para obter fertilidade, proteção, cura … Eles vivem em cabanas feitas de galhos entrelaçados, peles de animais e lama, um material fácil para ser desmontado para o transporte. Os guerreiros trançam seus cabelos longos e os tintam com ocre vermelho. Todos são ricamente decorados com colares coloridos, pulseiras e brincos.

 

© Jimmy Nelson

 

Vanuatuans – Ilhas Vanuatu

 

Eles povoam a República de Vanuatu, na Melanésia, que agrupa 83 ilhas do sudoeste do Oceano Pacífico. Eles praticam ótimas cerimônias e trocam alimentos: taros, inhame, kava, aves, porcos e galinhas. O festival Toka é um dos eventos tradicionais que dura três dias.

 

A dança é importante para os Vanuatuanos. As mulheres usam tufas feitas de folhas, tapetes metálicos, fibras de hibisco. O laplap de prato cerimonial é um bolo feito de raízes raladas ou plátanos misturados com coco, vegetais e carnes, envoltos em folhas e cozidos por horas em um forno tradicional de barro.

 

© Jimmy Nelson

 

Hulis – Papua Nova Guiné

 

Hulis vive nas terras altas da Papua Nova Guiné e acredita-se ter migrado para a ilha há mais de 45 mil anos. É a maior tribo desta ilha, apelidada de “Perucas masculinas”, famosas perucas impressionantes feitas com os próprios cabelos. Eles são decorados com penas de pássaros do paraíso, papagaios, conchas, pérolas, presas de porco, crânios e folhas também são usados.

 

Tradicionalmente animistas, eles oferecem oferendas de acordo com rituais estabelecidos para apaziguar os espíritos de seus antepassados. Eles vêem a doença e o infortúnio como o trabalho da feitiçaria. Eles são muito respeitosos com as maravilhas da natureza. Os homens ajudam a limpar a terra e são agricultores sem precedentes. Cultivam batatas doces, trigo e várias variedades de repolho e mandioca. Eles vivem em cabanas de palha, duas a quatro por comunidade. As mulheres dormem em uma cabana e os homens em outra.

 

© Jimmy Nelson

 

Kalam – Papua Nova Guiné

 

Eles são da Papua Nova Guiné e são menores estatura do que a grande maioria dos Papuanos. A população indígena é uma das mais heterogêneas do mundo. Tradicionalmente as diferentes tribos espalhadas pelo planalto vivem em pequenos clãs agrários. Os primeiros visitantes ficaram impressionados ao encontrar vales com jardins cuidadosamente planejados e valas de irrigação.

 

As mulheres desta tribo são excelentes agricultoras. Os homens guardam o território, caçam e combatem outras tribos de suas terras. Um grande esforço é feito para impressionar o inimigo com máscaras aterradoras, perucas e tinta. Eles usam penteados extraordinários feitos de centenas de besouros, penas de pássaros, colares de madrepérola e tanga trançada.

 

© Jimmy Nelson

 

O Maasai – Tanzânia

 

Nascer Maasai pertence a uma das últimas grandes culturas guerreiras do mundo. O jovem Maasai desde muito jovem deve aprender as práticas culturais, as leis consuetudinárias e as responsabilidades que ele terá que assumir como adulto. Eles são famosos pela aduma, uma dança na qual jovens homens andam com seus pés juntos para mostrar sua força e vigor como guerreiros.

 

Nômades eles migram em busca de comida e água para seus rebanhos. A riqueza em casa é medida pelo tamanho do rebanho e pelo número de crianças. Eles vivem em cabanas chamadas kraal ou boma, construídas com lama, ramos, grama e esterco de vaca. Eles usam muitas jóias em seus braços, pés, pescoço, as mulheres raspam seus crânios e têm dois incisivos retirados do maxilar inferior.

 

© Jimmy Nelson

 

Yalis – Indonésia

 

Os Yalis, “Senhores da Terra”, vivem no coração das Montanhas Jayawijaya, na província indonésia da Papua. Eles praticam a poligamia e constroem cabanas de madeira ovais ou redondas com telhados de palha espessos. Homens, mulheres e crianças dormem em cabanas separadas (honai). Sago é a dieta básica, mas é complementada por larvas, porcos selvagens, cobras, cassowaries. Como legumes eles consomem folhas de palmeira, samambaias e os frutos da fruta-pão.

 

© Jimmy Nelson

 

Os Dassanechs – Etiópia

 

Os Dassanechs “Povos do Delta”, com uma população de 20 mil habitantes, povoam o vale de Omo. Eles praticam danças tribais e canções rituais. Para se preparar para uma cerimônia eles pintam seus rostos com caulim, ocre, minério de ferro vermelho e carvão vegetal.

 

Eles acreditam que alguns homens exercitam o poder sobre a água e os crocodilos e que eles podem tratar distúrbios hormonais dentro da tribo. Esta tribo vive uma vida simples, caça, criando gado e cultivando sorgo nas margens dos rios. Se necessário eles pescam e caçam crocodilo no Lago Turkana.

 

© Jimmy Nelson

 

Karos – Etiópia

 

Os Karos têm entre 1.000 e 3.000 pessoas vivendo na margem esquerda do rio Omo, no sudoeste da Etiópia. A poligamia é permitida: um homem pode ter tantas esposas quanto ele quiser, desde que ele tenha condições. A cerimônia mais importante na vida de um pai, o Dimi pretende comemorar e abençoar o filho mais velho para que seja virtuoso e que se case um dia.

 

Eles praticam o animismo tradicional, a maioria dos seus membros se chamam muçulmanos. As cabanas consistem em galhos, palha, juncos e mistura de ramos. Cada família tem dois ambientes: o ono, que é a sala de estar principal da família, e o gappa, um prédio com telhado plano usado para várias atividades domésticas. Carne e leite são alimentos básicos, mas eles podem cultivar sorgo, milho e feijão.

 

© Jimmy Nelson

 

The Nenets – Rússia

 

Um grupo nômade de criadores de renas no Ártico Siberiano, a maioria deles ocupa a península de Yamal no nordeste dos Urales. Eles vivem por mais de mil anos em um dos ambientes mais inóspitos do planeta, -50 ° C no inverno +35 ° C no verão. As renas ocupam um lugar preponderante na vida e nas tradições dos Nenets por oferecerem comida, proteção, roupas e por isso são veneradas.

 

Os homens usam um malitsa, uma espécie de casaco com capa de couro alinhado com peles. Em condições extremas colocaram outra camada de pele de rena, o gus. O yagushka das mulheres é um vestuário de dupla camada. Os Nenets usam longos waders com uma bota interna, o tobaki e uma bota externa o kisy. Eles vivem nos tchoums, barracas familiares feitas de peles de rena. Sua bebida favorita é o chá preto do Ceilão e eles se alimentam de carne de rena e peixe seco.

 

© Jimmy Nelson

 

Goroka – Papua Nova Zelândia

 

Esta tribo da Papua de Papua Nova Guiné vive na segunda maior ilha do mundo. O terreno acidentado e a guerra inter-tribal histórica levaram ao isolamento da aldeia e à proliferação de línguas distintas. Várias tribos diferentes estão espalhadas pelo alto planalto.

 

A vida é simples em aldeias de montanha, caçando, coletando plantas. Os nativos desta tribo têm um grande respeito pela natureza. As guerras tribais ainda são relevantes hoje! Os homens passam muito tempo em sua maquiagem e roupa para impressionar o inimigo.

 

As tribos das terras altas fornecem as tribos do vale com penas de pássaros decorativos, peles de cuscuz e lindas madeiras raras que há muito desapareceram do vale. O Festival de Goroka é o mais antigo da ilha, ocorre em 16 de setembro no Dia da Independência e reuniu cerca de 90 tribos diferentes.

 

© Jimmy Nelson

Tecnologia

SpotMini o ciber-cão do futuro

Arqueologia

10 sítios arqueológicos que valem a pena conhecer

Saúde

3 vacinas contra o vírus Zika dão resultados promissores

Física

Já é possível produzir antimatéria e transportá-la

Biologia

Estudo revela que formigueiros possuem personalidade

Automobilismo

Jaguar e Google apresentam I-Pace, o novo carro autônomo

Galeria de Fotos

Lindas fotos do Lago Baikal no inverno fotografadas por Kristina Makeeva

Saúde

Pele de um paciente foi regenerada usando células-tronco

Tecnologia

Robô chinês passa no exame de admissão médica

Galeria de Fotos

Este surpreendente autoretrato de Joseph Byron pode ser a primeira selfie já feita

Arqueologia

Os misteriosos "portões" da Arábia

Galeria de Fotos

Fotos de um urso polar fotografadas por um drone

Paleontologia

Um dinossauro perfeitamente fossilizado revela seus segredos

Tecnologia

Virgin Hyperloop One registra novo recorde de velocidade

Tecnologia

Dados de 57 milhões de usuários do Uber foram roubados por dois Hackers

História

A história de Spartacus o gladiador rebelde

Saúde

Pesquisa revela que comer lentamente ajuda a perder peso

Ciências

Em breve poderemos comer carne artificial

Tecnologia

O exército dos EUA quer transformar espécies marinhas em espiões

Tecnologia

Robô humanoide Atlas é capaz de dar salto mortal

Galeria de Fotos

12 fotos finalistas do Wildlife Photographer of the Year

Saúde

Cogumelo comestível pode ajudar na cura de doenças genéticas

Robótica

Robô milimétrico poderá ser a nova arma contra as doenças

Ciências

O fundo do mar será o novo eldorado?

Arqueologia

Grande cavidade é descoberta dentro da pirâmide de Gizé

Galeria de Fotos

As mais belas fotos subaquáticas de 2018

Ciências

A Progress tentou estabelecer o recorde de voo mais rápido

Física Quântica

Os cientistas descobriram um novo estado da luz

Tecnologia

Vahana, táxi voador da Airbus, começará seus testes em Oregon

Arqueologia

Gigantesca cidade maia foi descoberta na selva da Guatemala

Saúde

Chove sobre nós bilhões de vírus todos os dias

Parceiros
Uêba - Os Melhores Links
EuTeSalvo - Salvando os melhores blogs! TrendsTops - Agregador de Links
Fake - O agregador de links mais Original da Net Ocioso
GeraLinks - Agregador de links